Autor do disparo que matou índia durante caça em aldeia deve prestar depoimento na segunda-feira em MT


Marinalva Zaquimae Corezomae, de 33 anos, foi alvejada ao ser confundida com um animal por outros membros da tribo. Indígena Marinalva Zaquimae Corezomae, de 33 anos, foi morta a tiros em Mato Grosso
Facebook
A Fundação Nacional do Índio (Funai) se comprometeu a levar o autor do disparo que matou a indígena Marinalva Zaquimae Corezomae, de 33 anos, para esclarecer o fato. A Delegacia de polícia de Barra de Bugres, a 169 km de Cuiabá, informou que o depoimento do suspeito está previsto para a próxima segunda-feira (26).
Marinalva e outros indígenas caçavam na região conhecida como ‘Piapó’, quando ela foi atingida por um disparo acidental, na quinta-feira (24). Os parentes dela contaram que um dos membros da tribo teriam confundido a vítima com um animal.
O tiro acertou a clavícula da índia. Ela foi socorrida, mas chegou no hospital sem vida.
Marinalva foi sepultada na Aldeia Umitina, onde morava com a família.
O caso está sendo tratado como homicídio culposo – quando não há intenção de matar.