Josué Eraldo da Silva fala sobre como desenvolver inovações sustentáveis na construção civil

A tecnologia é uma das práticas que maior favoreceu o setor sustentável para a indústria da engenharia civil. Com isso, o desenvolvimento tecnológico pode promover uma verdadeira revolução na indústria da construção.

Segundo Josué Eraldo da Silva, gerente da construtora Jacitara, é possível gerar maior produtividade nos canteiros e à racionalização de recursos materiais através do investimento ambiental. Essas são grandes inovações que contribuem para o sistema sustentável.

Para usar tecnologias para produzir de modo mais ambientalmente, é preciso ter diferentes atitudes que contribuam para o setor, indo além dos materiais renováveis e sustentáveis.

Práticas ambientais envolvem o uso de recursos menos impactantes, que ajudam a diminuir o desperdício, pode envolver a demanda de menos deslocamentos, pode poupar emissões de CO2 e podem empregar melhores processos de construção, que gerem edifícios mais duráveis, eficientes e que exigem menos manutenção.

Além disso, é importante digitalizar os processos, dessa forma, podem reduzir o desperdício. Para Josué Eraldo da Silva, o uso de papéis pode ser deixado de lado através dessa prática. Os recursos de TI proporcionam a digitalização de rotinas, da computação na nuvem e da integração de processos.

Há inúmeras novas soluções, como:

Softwares de gestão de obras focado em integração;

Aplicativos para redução de desperdício;

Plataformas para cotação de preços de materiais de construção;

Marketplaces de vendas.

Tudo isso, quando bem utilizado, cria um potencial gigante de racionalização de recursos, seja no canteiro de obras, seja nos escritórios.

A construção civil representa boa parte do PIB (Produto Interno Bruto) e emprega 8% da força de trabalho no mundo. No entanto, é marcada pela alta taxa de desperdício de materiais e pelos baixos índices de produtividade de sua mão de obra.

Dessa forma, é importante que toda a área de construção civil foque na gestão das empresas, a utilização de processos construtivos industrializados e a elevação da padronização de produto.

De acordo com Josué Eraldo da Silva,  uma indústria precisa produzir com mais eficiência em seus projetos, retirando métodos improvisados e focar em métodos bem estruturados. Um exemplo está sobre o BIM (Building Information Modeling), em português, Modelagem da Informação da Construção. Dessa forma, através dessa tecnologia é possível garantir um projeto mais inteligente.

Por fim, “a construção civil é um dos setores que mais vem sendo atualizados ano após ano, sendo importante que profissionais garantam sua eficiência e que estejam atualizados quanto as demais exigências presentes na atualidade” – salienta Josué Eraldo da Silva.

Deixe um comentário